5 intervenções no parto que podem interferir na amamentação

 

 

Quando começa a pensar em amamentação a mulher grávida deve em primeiro lugar pensar no parto,  porque uma coisa não acontece sem a outra, e perceber que tudo o que acontece na sala de parto e nas primeiras horas interfere diretamente com a amamentação já é um bom começo.

 

Vamos então falar de 5 intervenções que podem interferir na amamentação e porquê.

Indução do trabalho de parto

A indução do trabalho de parto implica que alguém decide que o bebé tem de nascer, ou precisa de ajuda para acelerar o seu nascimento, ou seja não respeita o tempo do bebé.

Teremos um bebé que pode não ter a sua maturação pulmonar completa, maturação necessária para respirar e mamar sem dificuldades.

Em termos neurológicos o bebé pode ainda não estar preparado para nascer e daí haver dificuldades a nível de coordenação e organização de modo a sincronizar todos os sentidos necessários para mamar.

A ocitocina artificial utilizada na indução é também outro fator que influencia a libertação de ocitocina natural na mãe e no bebé e esta hormona é essencial para o primeiro contacto e ligação entre mãe e bebé.

Líquidos intravenosos (soro)

A utilização de líquidos intravenosos, o chamado soro de hidratação, se for durante várias horas, vai passar através da placenta um excesso de hidratação e pode inflacionar o peso do bebé à nascença.

O peso do bebé pode vir inflacionado pelo uso do soro e assim nas primeiras horas, dias de vida, o bebé vai perder aparentemente mais peso do que o esperado, sendo que afinal está a perder essencialmente líquidos e não peso (gordura). Ou seja, a perda de peso pode ser perto dos 10% aceitáveis e fazer com que se tome a decisão de oferecer suplemento sem necessidade.

Epidural

Os químicos usados na epidural, apesar de seguros para mãe e bebé,  passam através da placenta e podem comprometer a função respiratória do bebé o que afeta diretamente a sua capacidade de sugar, engolir e respirar. O bebé necessita ser capaz de fazer tudo isto de maneira coordenada para mamar com eficácia.

Os estudos mostram que no caso de epidural o efeito perdura mais tempo no bebé do que no corpo da mãe, mesmo a mãe já não sentindo o efeito da epidural no bebé esse efeito ainda é percetível.

Forceps ou ventosas

Num parto com ventosas ou fórceps o bebé é manipulado e fica muitas vezes com algumas dores ou mal estar. Pode ter dificuldades em mamar devido a esta manipulação. Podem também acontecer episódios de torcicolo por exemplo que vai afetar diretamente a amamentação, devido à posição em que a boca e língua do bebé vão à mama.

Separação mãe/bebé

Idealmente o bebé deve ficar junto da mãe, em cima da mãe assim que nasce e não ser separado. Todos os procedimentos que possam ser necessários fazer podem ser feitos com o bebé em cima do peito da mãe.
Quando isto acontece o bebé e a mãe podem conhecer-se e nos dois há uma explosão de hormonas que facilitam o inicio da amamentação.

O bebé vai instintivamente procurar a mama e começar a mamar, não precisa de ajuda, só de apoio e tempo.

Ao existir separação, ainda que por poucos minutos, estamos a quebrar este contacto essencial.

E há maneira de evitar estas intervenções?

Claro que sim! Informação é a chave para um parto o menos intervencionado possível e assim um melhor começo da amamentação.

Como fazer esta preparação para a amamentação?

Fazer workshops sobre amamentação ou o curso “Nascimento e amamentação” onde estes temas são abordados em profundidade e explicados com todos os pormenores para saberem como podem evitar estas e outras intervenções e facilitar o inicio da amamentação.

Ser acompanhada por uma doula durante a gravidez será uma mais valia, para além de todo o apoio emocional, a doula pode ajudar a encontrar estratégias para aliviar a dor naturalmente, apresentar posições alternativas para o trabalho de parto que facilitam o processo, informar sobre os procedimentos hospitalares e suas consequências.

Fazer uma sessão pré natal com uma conselheira em aleitamento materno ou assessora de lactação para esclarecer todas as dúvidas antes do bebé nascer com a vantagem de ficar logo com o contacto de uma profissional que a pode ajudar caso surjam dificuldades na amamentação depois do parto.

É preciso ressalvar que nem sempre as intervenções do parto têm influência negativa na amamentação, mas como não sabemos a reação do bebé é sempre melhor prevenir.

Ana Custódio, AL, CAM OMS UNICEF, Doula

REFERÊNCIAS

“Supporting Sucking Skills In Breastfeeding Infants” de Catherine Watson Genna

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *